26 de março
Código fonte
14 visualizações

Git para rotinas de desenvolvedor

Nos primeiros passos é comum lidar apenas com repositórios locais e é comum encontrar tutoriais que explicam na prática os principais comandos como no curso Git e contribuições para projetos Open Source do Bruno Orlandi na plataforma Udemy.

Inicialmente, usamos o Git apenas como uma ferramenta simples pra evitar escrever sufixos v1, v2, v3, novo, novo mais novo, recente nos arquivos… Mas vamos descobrindo durante o caminho o verdadeiro poder do Git, que é escrever histórias estruturadas em ramos destinados a compôr o ramo master, além dos comandos que permitem transcender espaço-tempo nas histórias contadas na nossa git-tree.

Um certo dia entendemos por que o Git é a ferramenta mais popular do mundo ao se tratar de trabalho em equipe. Passamos a trabalhar em repositórios privados remotos de plataformas como GitLab e Bitbucket ou mesmo GitHub. Entendemos como é importante ter clareza nos commits e consistência. Aprendemos que conflitos são eventos necessários e que o trabalho de desenvolvimento também está relacionado à resolução constante desses conflitos.

Principais comandos git utilizados na rotina:

Clone Baixamos um repositório e passamos a visualizar a história por trás de sua construção. O poder de contribuir para a história depende de autorização do administrador desse repositório.
Add Realizamos algumas mudanças e gostaríamos de atualizar a história. Nesse momento o comando add deve ser utilizado. Especificamos nomes dos arquivos que farão parte do commit ou todos através de um ponto (.).
Commit Momento onde etiquetamos a mudança realizada sobre arquivos específicos modificados ou sobre todos (.). Atribuimos uma descrição clara que identifique a mudança feita. Pode ser necessário corrigir um commit anterior, daí se usa a opção --amend
Reflog Descrição mais compacta do log, exibe o índice da história
Checkout Utilizado para navegar entre os ramos. Pode ainda ser usado junto à opção -b para criar um novo ramo.
Reset É comum precisar apagar os últimos commits. Para essa finalidade, usamos o reset.
Merge É comum solicitar um merge do ramo master para atualizar um ramo secundário.
Rebase Versão mais inteligente do merge. Permite editar toda a árvore de commits antes de aplicar mudanças.
Branch Ramo = branch. Geralmente criamos novos ramos a partir de ramos mais atualizados.
Fetch Baixamos histórias atualizadas do repositório remoto/origin, mas não aplicamos diretamente como o merge faz.
Pull Junção de fetch + merge.
Push Enviamos as alterações para um ramo desejado, após o commit.
Remote -v Lista todos os repositórios remotos ativos
Remote add origin Adicionamos um repositório remoto chamado “origin”
Remote rm origin Removemos um repositório remoto chamado “origin”

Um pouco sobre o autor

Matteus Barbosa - Desenvolvedor Web
                               
Trabalho como Desenvolvedor web desde 2013 e atualmente faço parte do quadro da Symplicity. Também atuo em projetos como profissional autônomo. Para saber da minha experiência, acesse meu Currículo, meu Portfólio, a relação de Referências de Clientes ou ainda a Lista de Serviços. As propostas de serviço são iniciadas com conversas informais, seguidas da coleta de requisitos, elaboração do cronograma e por fim a proposta de orçamento. Todas as etapas são acompanhados de perto via ferramenta online e videoconferências. Os pagamentos são registrados com entrega de notas fiscais. Presto serviços de projeto, desenvolvimento e manutenção de sistemas baseados nos mais diversos frameworks.